Domingo, 30.03.14

«Preparar a reestruturação da dívida para crescer sustentadamente»

 

assine a petição
http://www.manifesto74.com/

 



publicado por JCM às 23:22 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 07.06.13

DOWNLOAD


25 Anos de Portugal Europeu
A economia, a sociedade e os fundos estruturais

http://www.ffms.pt/estudo/18/25-anos-de-portugal-europeu
http://www.ffms.pt/upload/docs/83df0f51-1474-4c08-9b71-1cceda4414c6.pdf
http://www.ffms.pt/upload/docs/23b69163-ee6d-4327-a324-03a0dfc0cfc5.pdf



publicado por JCM às 12:29 | link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 05.06.13

http://www.dn.pt/DNMultimedia/Embeds/Infografias/Roteiro_populacao/Index.html

 

Faltam áreas urbanas médias em Portugal

http://www.dn.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=3253412&page=-1



publicado por JCM às 23:50 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 18.03.13


publicado por JCM às 19:25 | link do post | comentar | favorito

Domingo, 17.03.13

Tendo como base o indicador dos Censos 2011 - 'população residente que vive a maior parte do ano no alojamento e que trabalha ou estuda, segundo o principal meio de transporte que habitualmente utiliza no trajeto de casa/ local de trabalho ou estudo', informação amavelmente  cedida pelo Paulo Andrade, foi possível construir o seguinte conjunto de rankings das regiões, sub-regiões, concelhos e freguesias com maior número de utilizadores regulares de bicicleta (em valor absoluto e relativo).

Julgo que seria oportuno começar a desenhar políticas públicas (municipais, regionais e nacionais) que tenham em conta a realidade aqui descrita e que valorizem e potenciem os territórios que possuem já hoje dinâmicas significativas de utilização da bicicleta. 

 

 

Ranking 1 (valor absoluto)


 



Ranking 2 (valor relativo)



Fonte: INE, Censos 2011



publicado por JCM às 16:04 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 16.02.13

um país desempregado não é um país, é um país mal empregado!

foto: Expresso




publicado por JCM às 10:31 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 14.02.13

Fonte: Público



publicado por JCM às 14:20 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 09.02.13

Conferências do Estoril

http://www.cm-cascais.pt/residentes-visitantes-investidores/destaque/conferencias-do-estoril-de-30-de-abril-3-de-maio-estoril.

 

 

Aveiro precisa encontrar condições políticas, institucionais, logísticas e organizativas para retomar o protagonismo como lugar de reflexão de horizontes largos que  teve, por exemplo, quando organizou as Conferências do Milénio. 

 



publicado por JCM às 12:40 | link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 15.01.13

Projecto educativo Cidades Sonoras

Um Projeto de Mapeamento Sonoro de Cidades Portuguesas




excerto

«Cidades Sonoras é um projecto educativo de mapeamento sonoro de espaço urbanos portuguesas. Guiados por monitores, um grupo de participantes oriundos do contexto social/geográfico objecto de documentação irá gravar os sons que segundo os próprios caracterizam melhor a zona, registando as coordenadas geográficas de cada som, a par de outras informações contextualizadoras e de registos fotográficos. 

O projecto procura evidenciar a especificidade acústica de cada cidade e de cada bairro, não obstante a crescente homogeneização dos espaços urbanos contemporâneos. O projecto é estruturado de forma a estimular tanto a atenção aos pequenos detalhes acústicos da cidade como o contacto inter-geracional em que as vozes da memória da cidade de outros tempos podem assumir um papel determinante»

Binaural

 

 

 

Projecto 'Sightseeing for the Blind in Aveiro'

Projecto Binaural, intervenção artística de Tiago Filipe Cravo Margaca com curadoria de Jorge Reis

Notável!

JCM




publicado por JCM às 12:31 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Six Years in Nodar

 

Binaural Nodar 

https://www.facebook.com/binauralnodar



publicado por JCM às 12:27 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 12.01.13

Recentemente uma aluna Erasmus a quem dei aulas confidenciou-me a sua dificuldade em trabalhar com os seus congéneres portugueses por causa da sua falta de pontualidade, isto é do difícil cumprimento de prazos e horários. Acrescentou que esse sentimento era partilhado por outros seus colegas estrangeiros.

Esta questão despertou-me preocupação para o assunto e deixou-me particularmente angustiado pensar que a próxima geração pode vir a reproduzir o mesmo tipo de comportamentos que a anterior, acentuando a noção de que esta atitude de desleixo com a pontualidade (entendida no sentido mais lato, de chegar a horas, de cumprir prazos, de gerir bem o tempo colectivo) é quase genética, impossível de mudar e que até tem alguns aspectos positivos (o conhecido 'desenrascanço').

Como investigador da área das ciências sociais, do planeamento do território e da participação cívica, identifico aqui padrões comportamentais que contribuem para a nossa deficiente gestão do tempo individual e colectivo e para o nosso déficit de pontualidade (uma quase ‘alergia’ à actividade de planeamento da vida colectiva).

Por feliz acaso, cruzei-me com um estudo muito interessante sobre a Pontualidade em Portugal coordenado por Clive Bennett. O estudo, cuja leitura recomendo vivamente, revela alguns dados preocupantes: 95% dos portugueses não são habitualmente pontuais; 2/3 das reuniões começam depois da hora; 50% das reuniões não têm agenda de trabalhos distribuída atempadamente; 50% das reuniões não cumpre os objectivos que era suposto atingirem; 60% das pessoas agendam mais tarefas do que aquelas que sabem conseguir efectivamente realizar. No entanto, a percepção da pontualidade muda consoante o prisma de observação. Apesar de só 5,4% das pessoas acharem que os Portugueses são pontuais (habitualmente ou sempre), 86,6% afirmam que elas próprias são pontuais‘ (AESE, 2006).

Os dados atrás referidos mostram, de forma clara, a dificuldade que temos em gerir e planear o tempo e em cumprir horários e prazos, o que se traduz em fortes penalizações na vida dos cidadãos, organizações, empresas e no país com consequências económica e sociais, nomeadamente na produtividade nacional. Esta dificuldade de gestão do tempo é comprovada por dados recentes da OCDE (2011) que mostram que o número de horas de trabalho por ano em Portugal é muito superior ao número de horas de trabalho anual, por exemplo da Alemanha (1.714 horas/ano contra 1.419 horas/ano). Acontece que 60 minutos laborais em Portugal resultam num retorno de 21 euros para a economia nacional, em termos de PIB, praticamente metade da produtividade alemã (37€). Os dados confirmam a necessidade de olhar para a qualidade do tempo de trabalho, mais do que para a quantidade.

Tendo como base o quadro atrás definido, pensei que seria interessante aproveitar a comemoração em 2013 do Ano Europeu dos Cidadãos para lançar uma campanha cívica designada ‘2013 - Tolerância Zero para a Falta de Pontualidade’  que pretende criar e estimular uma cultura de rigor na gestão do tempo individual e colectivo.

Acontece que se é fácil ter a ideia, é muito difícil levá-la à prática, e por isso julgo que será fundamental começar por lançar alguma reflexão sobre o assunto. Como pretendo que esta ideia ganhe corpo e conteúdo, que não se fique pela dimensão virtual, vou lançar o desafio a colegas, docentes e discentes para tentar encontrar a metodologia adequada para a desenvolver. Quem quiser colaborar envie-me um email para josecarlosmota@gmail.com explicando o seu interesse na matéria.

JCM



publicado por JCM às 12:30 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 10.01.13

Fernando Alves dizia ontem que nestes momentos conturbados 'é importante que as instituições respeitadas façam perguntas' e 'nos desafiem (a nós, cidadãos) a não desistirmos das perguntas', mas daquelas pertinentes, assertivas e incómodas, das que 'não desistem de resposta' (Sinais, TSF).

Essa arte de saber colocar as perguntas (certas) 'é uma ferramenta (fundamental) para contrariar o esvaziamento da cidadania' mas também para nos conduzir na 'aventura de pensar', de 'construir as nossas dúvidas e de não ter pressa em ter certezas' (Savater, 2013).

Andamos a perder demasiado tempo a discutir respostas (nacionais ou locais) que fogem ou evitam fazer as perguntas certas. 

JCM

 

 

foto Rui Monteiro | 04 Outubro 2012

 



publicado por JCM às 13:47 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 04.01.13

 

Bénédicte Manier, uma jornalista belga, lançou recentemente o livro ‘un million de révolutions tranquilles’ que conta a história de dois anos de viagens a observar como os cidadãos, em vários locais do mundo, se têm vindo a organizar para responder às suas necessidades e para inventar ‘um outro mundo possível’. 
Em Portugal, Fernanda Freitas tem feito o mesmo nos últimos sete anos. Com enorme brilho e profissionalismo, todos os dias úteis, em directo, na RTP2 e através do ‘Sociedade Civil’ (SC), levou-nos até aos protagonistas das ‘revoluções tranquilas’ que por cá se fazem, de forma mais ou menos (des)conhecida. 
O início de 2013 traz-nos a triste notícia da saída da Fernanda Freitas e de um novo SC com ‘menos pessoas, meios e nenhuma interacção com o público’. Exactamente o contrário do que seria de esperar de uma SC num momento de dificuldade.

JCM



publicado por JCM às 22:16 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 10.11.11
texto de Ilídio Carreira
'Enquanto o IVA do vinho se mantém nos 13%, aumentam-se para 23% os bens essenciais ao cidadão como a água, a prática do desporto e alguns bens alimentares confeccionados. Mantém-se o IVA do vinho: uma droga que dizem ser um sector fundamental para a economia do País e que, como tal, não pode ser afectada.
Pergunto: será que se esqueceram de todos os outros sectores que estão a ser afectados por esta crise? Porque é que o vinho necessita de protecção pelo Estado (e que tal adequarem-se à concorrência?) e os Teatros, os Cinemas e os restantes sectores culturais não o são? Pelo contrário; aumenta-se-lhe o IVA nos ingressos para eles morrerem de vez.
Alguém que me explique que contas são essas que não contabilizam os efeitos danosos na saúde e na sociedade pelo vinho e os benefícios nas mesmas áreas que a prática do desporto nos traz? 
Álcool sim. Cultura e Desporto não. É a mensagem passada pelos nossos governantes.
Estamos na Twilight Zone?'
http://paninhosfrios.wordpress.com/2011/09/28/o-iva-aplicado-ao-desporto-e-ao-vinho-e-a-bebedeira-do-%E2%80%98bicho%E2%80%99-que-o-decretou/.
Ilídio Carreira está desde hoje acampado nas Piscinas do Sporting de Aveiro em protesto contra esta decisão governamental de manter o IVA do vinho e de alterar o IVA para a cultura e desporto.
Passe por lá para o cumprimentar e mostrar a solidariedade com o seu protesto!
Amigosd'Avenida


publicado por JCM às 17:32 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 20.06.11

'Documentário sobre o Alboi engrossa protesto contra projecto' (Diário de Aveiro)

 

http://contraoalboicortadoaomeio.blogs.sapo.pt/ 

https://www.facebook.com/Alboicortadoaomeio



publicado por JCM às 08:57 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 13.10.10
O economista Daniel Bessa recordava este fim-de-semana uma frase de Mário Soares a propósito da forma como geria a política pública económica em períodos de crise. Dizia o antigo primeiro-ministro que nessa matéria ‘conduzia com um pé no travão e outro no acelerador’ demonstrando a necessidade de equilibrar as políticas de controlo da despesa com os estímulos oferecidos pelos investimentos públicos (Expresso 9 Out).

Curiosamente, o insuspeito Fundo Monetário Internacional alertou na semana passada para o risco do país entrar em recessão no próximo ano, intervenção que tornou clara a necessidade de medidas públicas para ‘promover o crescimento económico’ e ainda ‘boa vontade e alguma criatividade’ (João Vieira Pereira, Expresso 9 Out.).

A questão que se coloca é como o fazer, como identificar os sectores económicos fundamentais para a retoma, tendo em conta a diversidade de sectores existentes (‘19 pólos/clusters económicos’ aprovados recentemente pelo QREN).

Perante o mesmo dilema, um centro de investigação norte-americano (Drum Major Institute for Public Policy) produziu um estudo que sugeria equacionar a retoma económica aproveitando o potencial das cidades (‘No Economic Recovery without cities’, 2009).

Ora foi exactamente a importância das cidades que levou um grupo de cidadãos a lançar uma campanha designada ‘Cidades pela Retoma’ que pretende sensibilizar os poderes públicos (nacionais e locais) para a pertinência e oportunidade de reflectir sobre o papel das cidades na retoma económica.

Esta iniciativa, que vai ter o seu primeiro evento público no Porto na próxima semana (num evento organizado pela Associação de Cidadãos do Porto no Clube Literário do Porto), pretende mobilizar os cidadãos, em particular os técnicos, os cientistas, os empresários e os homens das artes e da cultura a participar neste exercício de reflexão colectiva e ajudar as cidades portuguesas a identificar e avaliar os seus recursos com potencial económico (visíveis e os escondidos) e a definir uma ‘agenda local para a retoma’.

Num momento de grave crise nacional, espera-se que as nossas Cidades (com o seu potencial de desenvolvimento económico) se transformem numa causa nacional e deseja-se que esta iniciativa se transforme num exercício exemplar de mobilização cívica pela Retoma!

JCM

[crónica semanal na Rádio Terranova]



publicado por amigosdavenida às 13:02 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 16.07.10

'Londonderry celebrated on Thursday after it was named the first UK City of Culture, a role it will take on in 2013. The city in Northern Ireland beat off Sheffield, Birmingham and Norwich, the other three finalists shortlisted for the honour' (Reuters).

 

http://www.cityofculture2013.com/

 

Get Involved - As we eagerly wait to find out whether our bid has been successful everyone involved in the Derry-Londonderry team would like to thank everybody involved what has and continues to be a vibrant campaign. Your support has been fantastic. The many ideas & words of encouragement have inspired us! And if you wish to join the campaign there’s still time, so why not get involved today (http://www.cityofculture2013.com/Get-Involved/Get-Involved.aspx)

 

Documento de candidatura - The wave of euphoria across the city following this outstanding achievement is just the beginning in the telling of a new story for the region. This is a new chapter in our journey from plantation to peace, and its legacy will last for generations.

Download the Executive Summary of the Bid

 



publicado por amigosdavenida às 13:40 | link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 27.04.10

O Presidente da República (PR) sugeriu no seu discurso do 25 de Abril a necessidade de 'fazer da cidade do Porto um pólo aglutinador de novas indústrias criativas’... 'sinónimo de talento, excelência e inovação em áreas como as artes plásticas, a moda, publicidade, design, cinema, teatro, música, dança, informática e digital' (Público, 26/4/10).

A proposta é pertinente. Um estudo recente do Ministério da Cultura,  elaborado pelo Prof. Augusto Mateus, referiu que o sector cultural e criativo 'vale tanto' quanto o sector dos têxteis (1).  Para além disso, num momento em que tanto se fala da necessidade de 'cortar na despesa pública' como medida única no combate à crise, é importante referir que existem outros caminhos, entre os quais este, que passa por apoiar e estimular a actividade de sectores emergentes (por ex: cultura, artes e criatividade), cujo potencial económico e geração de emprego é relevante e cuja expressão territorial pode ser indutora de outras dinâmicas. Indo ao encontro destas preocupações, a Comissão Europeia divulgou esta semana o Livro Verde das Indústrias Culturais e Criativas - ICC- (2) onde são apresentados um conjunto de recomendações para estimular o seu desenvolvimento.

A proposta sugerida deve, no entanto, ser ponderada em duas dimensões. A primeira tem a ver com a dimensão espacial sugerida. Apesar de se perceber que a ideia tem por base o trabalho que tem vindo a ser feito pela ADDICT - Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas da Região Norte (3), que tem sede no Porto, e em particular a candidatura apresentada ao QREN (4), talvez faça sentido reinterpretá-la tendo como elementos territoriais âncora as cidades do Porto, Braga, Guimarães e Aveiro, pelo potencial cultural, social e económico que congregam. A segunda dimensão tem a ver com a necessidade de reflectir sobre o conceito de 'indústria cultural e criativa' e a sua aplicação à realidade em causa, procurando analisar o seu real potencial, esclarecer os eventuais receios sobre alguns riscos de ‘mercantilização da cultura’ e atenuar algumas ‘resistência dos agentes económicos que olham para este tema com alguma estranheza’. Mas não deixa de ser um importante e interessante desafio aos poderes locais/regionais e aos agentes culturais, sociais e económicos desta região urbana.

O assunto não é novidade para nós. Os Amigosd'avenida têm vindo a alertar para a necessidade de se olhar para este tema com atenção. Nesse sentido, produziram, no ano passado, um primeiro mapeamento das ICC da cidade de Aveiro (5) e lançaram a ideia da criação uma plataforma de articulação e dinamização dos agentes culturais e criativos (6), ideia que o Plano Estratégico do Concelho de Aveiro (PECA) também veio recentemente reforçar.

Estamos perante um tema que nos pode unir e sobre o qual a cidade/região de Aveiro tem recursos e competências relevantes. Contudo, tendo em conta a natureza embrionária e emergente de algumas destas actividades, nuns casos, e os interesses diversos e concorrentes, noutros, é fundamental encontrar uma liderança capaz de mobilizar este potencial e de sentar à mesa os principais actores.

Não será tarefa fácil. Mas as condições actuais exigem que os poderes públicos (locais/sub-regionais) assumam esta tarefa e procurem trabalhar este tema estratégico para o futuro da cidade/região, encontrando a melhor metodologia para desenhar uma agenda comum e identificar projectos que ajudem a projectar a 'produção cultural e criativa' no contexto nacional e internacional. Só este esforço permitirá colocar-nos no desígnio sugerido pelo PR de transformar a região alargada do Porto ‘numa região europeia vocacionada para a economia criativa'.

 

José Carlos Mota

josecarlosmota@gmail.com



publicado por amigosdavenida às 13:14 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 29.03.10

Dialogue Cafe from Dialogue Café on Vimeo.



publicado por amigosdavenida às 13:15 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 20.03.10
Limpar Portugal - São Bernardo - Aveiro (20 Março)

 

 

para ver mais fotografias clique aqui  



publicado por amigosdavenida às 21:55 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 19.03.10

 



publicado por amigosdavenida às 19:10 | link do post | comentar | favorito

A experiência irlandesa (http://www.yourcountryyourcall.com/é uma óptima ideia para fazer depois de Limpar Portugal.

Voluntários? 

Comentários: reanimarportugal@gmail.com

Mais informações:  http://reanimarportugal.blogs.sapo.pt/



publicado por amigosdavenida às 12:30 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 12.03.10

Os Amigosd'Avenida associam-se ao movimento «Limpar Portugal» e convidam a comunidade aveirense a participar nesta iniciativa, agendada para o dia 20 de Março.

Para mais informações ver flyer em anexo. Aceite o convite e inscreva-se em http://limparportugal.ning.com!

Não deixe de dar o seu contributo para um Portugal mais limpo.

JCM

 



publicado por amigosdavenida às 09:46 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 22.02.10

 

foto



publicado por amigosdavenida às 13:17 | link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 02.09.09

Proposta de Lei - As candidaturas autárquicas são obrigadas a apresentar o seu programa eleitoral com um mês e meio de antecedência. Nele deve constar a visão para o concelho, objectivos e propostas de acção. A não apresentação do documento no período indicado elimina a possibilidade da candidatura poder participar no acto eleitoral. 
 

 
Se não for assim como podemos votar?
JCM
 
 

 



publicado por amigosdavenida às 18:41 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 09.07.09


publicado por amigosdavenida às 13:51 | link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 08.07.09

NOTÍCIA TERRANOVA

O projecto Amigos da Avenida ainda não tem um ano de actividade, mas conta já com um grupo de trabalho de com mais de 20 pessoas, para além dos contributos que vai recebendo de mais de uma centena de aveirenses interessados em dinamizar o projecto. Têm sido várias as acções desenvolvidas, que se centram, sobretudo, na partilha e discussão de ideias em torno da cidade de Aveiro, para além de actividades de dinamização do espaço público. E dentro em breve será apresentado um novo projecto. Trata-se da criação de dez curtas metragens sobre dez cidades do mundo, sendo que uma delas será Aveiro. O objectivo é debater o conceito de cidade, a utilização do espaço público e mostrar as várias realidades nos quatro cantos do mundo, indo desta forma ao encontro dos princípios do manifesto deste grupo de cidadãos. A produção deste projecto caberá ao Cineclube de Avanca. 
“O desafio que lançámos ao Cineclube de Avanca, com o qual vamos assinar um protocolo de colaboração, pretende construir dez curtas metragens sobre os dez princípios do manifesto. Pretendemos que estas curtas metragens sejam realizadas por dez realizadores de dez cidades espalhadas pelos cinco continentes. Queremos que seja um manifesto global à cidade, ao espaço público, como um forma de ajudar a afirmar esta necessidade de olharmos para o mundo e perceber as diferenças e similitudes”, adiantou José Carlos Mota, um dos membros dos Amigos da Avenida. 
José Carlos Mota acredita que com a construção deste projecto, Aveiro poderá afirmar-se a nível nacional e internacional. “Pode ser um desafio importante de afirmação da produção e criação artística de Aveiro e da toda esta região, tanto ao nível da cultura e do espaço público. Nesse sentido, o desafio será lançado a realizadores, argumentistas e actores”, sublinhou José Carlos Mota, acrescentando que “não temos qualquer apoio financeiro para este projecto, mas também fica aqui a prova de que é possível fazer muitas coisas sem dinheiro”. 
Declarações de José Carlos Mota, que é o convidado do programa “Conversas” desta quarta-feira, para ouvir depois das 19h.



publicado por amigosdavenida às 13:49 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 01.06.09

Análise da ‘participação pública’ no caso Português

Alexandra Amaral Gomes - ISCTE

" ‘Participação pública’ é uma expressão muito comum quando se discute a gestão territorial actual, mas na maioria dos casos trata-se uma figura de estilo vaga. Será que há uma participação cidadã efectiva? Quem pode participar? Quando? Onde? E como? Será essa participação a desejável? A presente dissertação pretende analisar o significado do termo ‘participação pública’ com base no conceito de democracia, nas diferentes formas que esta assume e seu reflexo no planeamento do território português actual. Partindo do estudo de teorias da acção colectiva, regulação social, sistemas políticos democráticos, governança e participação local recolhemos uma paleta de vários modelos que permitem pensar criticamente essa participação. Confinando a análise a um objecto específico como o do planeamento territorial, e contrariando a maioria dos estudos feitos sobre esse tema onde as vertentes teórica, legal e prática são analisadas isoladamente, partiremos da teoria para confrontar os discursos normativos (na legislação vigente) com a sua prática (através do estudo de três casos operativos na gestão do território). Como é que os mecanismos legais funcionam na prática? Será que os instrumentos normativos existentes admitem uma verdadeira democracia participativa? Ou apresentam limitações apenas ultrapassadas pela necessidade prática e pela sociedade civil? Tentaremos mostrar que o grau democrático do planeamento do território actual é insuficiente, dominado por um discurso normativo fechado e passivo, face a uma pressão cada vez maior dos cidadãos. Serão ainda apresentados exemplos concretos ilustrativos de diferentes escalas de planeamento participativo na Área Metropolitana de Lisboa, que demonstram a necessidade de repensar a prática democrática do sistema de planeamento português".

Tese de Mestrado aqui



publicado por amigosdavenida às 22:09 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 28.05.09

"As indústrias criativas não são a solução milagrosa para a economia das cidades e os números que habitualmente são avançados em termos de percentagem de PIB (entre os 4% e os 7%) escamoteiam que a parte substancial desta economia provém das telecomunicações, da indústria do audiovisual e das televisões, que, a bem da verdade, nem são indústrias recentes, nem se pode afirmar que traduzam sempre o melhor da criatividade".

"No caso concreto de Portugal, a criatividade deve e pode ser estimulada e actualizada em termos concretos, desde que se tenha consciência de que o processo criativo é lento, que não se coaduna com calendários legislativos, que implica reconhecer a possibilidade do erro, da falha e do sucesso adiado; que exige investimento nas retaguardas de formação elementar, que se precisa de muito tempo; que exige um forte investimento na investigação científica e na produção artística (e que, neste último caso, está muito longe dos patamares mínimos de eficiência); que há áreas potencialmente mais capazes de fornecerem a médio prazo resultados muito positivos, como sejam a arquitectura, a fotografia, a música urbana, o documentário, e que há outras que vão exigir mais tempo e pode haver casos em que os próximos tempos sejam de falhanço. É preciso, de facto, tempo, muito tempo."

..

"As nossas cidades precisam que sejam orientadas num sentido mais cosmopolita, que se constituam em cenas artísticas e científicas, que se internacionalizem e dêem tempo, o tempo e as condições necessárias à formação que actualize a criatividade".

 

António Pinto Ribeiro




publicado por amigosdavenida às 13:42 | link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 20.05.09

Décio Coutinho, colega brasileiro dos Amigosd'Avenida, sugeriu uma interessante hipótese de estabelecimento de um programa de intercâmbio cultural entre Aveiro-Goiás (Brasil).

Esse intercâmbio poderia tomar a forma de uma "missão bilateral de benchmarking com artistas e gestores culturais" através da qual se poderia "fazer uma apresentação dos trabalhos realizados e discussão de cenários futuros de colaboração".

Num momento em que se celebram os 250 anos de Aveiro, aqui está uma boa oportunidade para olhar para fora, para projectar Aveiro do outro lado do Atlântico, para criar redes e parcerias com os nossos amigos brasileiros, para valorizar o papel das artes como área de aposta fundamental da nossa política pública local.   

A bola está do nosso lado!  

JCM



publicado por amigosdavenida às 00:10 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 19.03.09

 

JCM


tags:

publicado por amigosdavenida às 13:01 | link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 11.03.09

Propostas para um Portugal mais positivo, realizador e livre.

Num ano em que se decidem três eleições e o país está mergulhado numa crise de esperança, desafiamo-lo a preencher este formulário com ideias que ajudem a construir um Portugal melhor e mais solidário (use um máximo de 400 caracteres por ideia; não é obrigatório o preenchimento de todos os campos). A sua contribuição será divulgada nos sites SICExpressoVISÃO e AEIOU e entregue, no dia 25 de Abril de 2009, data em que se comemoram os 35 anos da Revolução dos Cravos, ao Presidente da República, a todos os grupos parlamentares, ao Conselho de Ministros, à Associação Portuguesa de Municípios e a diversas organizações representativas da sociedade civil.

Três destinatários, três temas, três propostas.

http://aeiou.expresso.pt/gen.pl?p=25abril


publicado por amigosdavenida às 19:38 | link do post | comentar | favorito


SOBRE CIDADES, CIDADANIA, O FUTURO E AVEIRO. UM BLOGUE EDITADO POR JOSÉ CARLOS MOTA
VISITAS
GRUPO FB 'PENSAR O FUTURO - AVEIRO 2020'
2013-01-04_2204.png
ADESÃO À MAILING-LIST 'PENSAR O FUTURO DE AVEIRO'

GRUPO 'PENSAR O FUTURO DE AVEIRO'
AUTOR
E-mail Gmail
Facebook1
Facebook2
Twitter
Linkedin
Google +
QUORA
JCM Works
Slideshare1
Slideshare2
Academia.Edu
FOLLOW
G. Analytics
links
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


mais sobre mim
MAPA
Facebook
Partilhar
arquivos

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008