Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2008

extractos da entrevista a O Aveiro do Presidente da Associação Comercial de Aveiro

ed. 873, 12 de Dezembro de 2008

Propostas - Jorge Silva, presidente da Associação Comercial de Aveiro

...

A ACA concorda que é preciso fazer alguma coisa pela Avenida porque de dia para dia ela degrada-se. Neste momento estamos com um núcleo de comerciantes que têm interesses na Avenida a fazer um estudo que está a ser trabalhado com a ajuda de um núcleo de arquitectura da cidade. Esperamos no início do ano apresentar esse trabalho ao público e que terá a perspectiva dos comerciantes para o futuro da Avenida.

Retirar os carros nem pensar. Isso é estar a matar coisas. E nós temos de evoluir nas situações. Dou-lhe o exemplo da Rua Direita que, na nossa opinião, e apesar dos serviços das finanças e os da própria Câmara terem saído daquela zona, perdeu por estar pedonalizada. Se calhar não deveríamos pedonalizar a cem por cento. Tem de haver uma situação de compromisso entre o automóvel e o peão.

Acções de requalificação para a Avenida… Mais limpeza, passeios melhor arranjados e mais mobiliário urbano. E eu, pessoalmente, questiono muito as árvores da Avenida. É um toque antigo mas temos de evoluir. O passeio central é algo de morto e de não útil. E há que alargar os passeios laterais. São opiniões minhas mas que começam a ser transversais a muita gente.

Por minha iniciativa as árvores do passeio central teriam de desaparecer todas para se colocar árvores nos passeios laterais de uma outra maneira. Na altura própria esta ideia será explicada. Mas parece-me que tem cabimento.

Isto poderá levantar movimentos da população contra o corte? Não, até porque estaríamos a substituir árvores por árvores. Faz sentido ter árvores na Avenida mas não como as actuais cujas raízes prejudicam tudo e mais alguma coisa e cujas copas são enormes para a Avenida que temos.

A Avenida há 20 anos atrás era uma zona comercial nobre da cidade. Hoje em dia está descaracterizada em termos comerciais. As casas comerciais não são as mesmas. Na minha opinião o comércio desvirtuou-se um pouco. Há casas comerciais, nesta zona nobre, que não têm a nobreza que deveriam ter. Com o devido respeito que tenho por elas, há comércio e comércio. Uma coisa é vender baldes de plástico, outra coisa é vender roupa de classe. Tem de haver algum equilíbrio.

..

Na baixa da cidade, termos casas comerciais com um nível um pouco inferior àquilo que todos nós gostaríamos que tivessem, não abona nada. Deveríamos ter nas zonas principais da cidade a excelência do comércio. Essa é a lógica. Se isso não acontece alguma coisa está errada. Tem de haver algum cuidado a licenciar. Não se pode ter uma oficina de automóveis ao lado de uma loja de roupa e a seguir um cabeleireiro. Há coisas que chocam.

Sobre a construção de um parque de estacionamento subterrâneo? À volta da Avenida já temos vários parques para várias centenas de carros. Acho que há estacionamento mais do que suficiente para ter de se esventrar a Avenida com obras que se calhar demorariam muito tempo. E não sei se as casas comerciais teriam sustentabilidade para se aguentarem… Só se, aquando da candidatura, tiverem o cuidado de contemplarem as casas comerciais com um subsídio para que elas se possam aguentar.

 …

O comerciante deixou-se estar, foi-se acomodando à realidade e quando deu conta passou-lhe o negócio à frente. Muitas vezes tentaram-se renovar mas não é suficiente porque tem de haver um todo. Se olharmos para a cidade, em especial para o centro, vemos que as casas habitacionais estão vazias. Há uma desertificação do centro da cidade. E tem de haver habitantes para que haja vida, para que haja comércio.

O comércio tradicional está condenado à extinção? Está condenado se entendermos que as cidades vão continuar a esvaziar-se de gente. Aí sim, sem pessoas não há quem compre. Não podemos criar uma cidade e criar nela vários departamentos: no bairro x colocar serviços, no bairro y indústria, no bairro z comércio… Tem de haver um todo a funcionar. As coisas têm de ter alguma ligação, caso contrário não funcionam. E essa ligação compete à Câmara fazê-la. Numa primeira fase têm-se de criar boas condições aos comerciantes.

Como é o clima actual entre os comerciantes? Clima de tristeza, de preocupação e de dificuldade. Se calhar se as coisas tivessem outro aspecto as coisas estavam melhores. Aliás, a própria Câmara também está preocupada com isso senão não fazia os eventos que tem feito sobre a revitalização da Avenida.



publicado por JCM às 14:00 | link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



SOBRE CIDADES, CIDADANIA, O FUTURO E AVEIRO. UM BLOGUE EDITADO POR JOSÉ CARLOS MOTA
GRUPO FB 'PENSAR O FUTURO - AVEIRO 2020'
2013-01-04_2204.png
ADESÃO À MAILING-LIST 'PENSAR O FUTURO DE AVEIRO'

GRUPO 'PENSAR O FUTURO DE AVEIRO'
AUTOR
E-mail Gmail
Facebook1
Facebook2
Twitter
Linkedin
Google +
QUORA
JCM Works
Slideshare1
Slideshare2
Academia.Edu
links
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


mais sobre mim
arquivos

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008